Palavras faladas, querem ser minhas amigas?

Palavras faladas, querem ser minhas amigas?

Photo by Christin Hume on Unsplash


Há cerca de 10 anos escrevi um texto falando o quanto não era bom com as palavras faladas. De lá para cá algumas coisas mudaram, mas nem tanto assim. Continuo sendo uma pessoa com dificuldade em falar as coisas, mesmo que tente expressar a mim mesmo de outras maneiras.

Essas maneiras, contudo, nem sempre são tão facilmente assimiladas. Na verdade, elas precisam, talvez, de um bom tempo de convívio e muito amor envolvido para compreendê-las. Mamys que o diga, depois de tanto tempo convivendo comigo, acho que ela compreendeu, não sem angústia, essa característica minha. 

Olhando para mim mesmo percebo que gostaria de falar mais, ser uma pessoa que expressa melhor os sentimentos e não somente as opiniões. Acredito que, dada minhas formações, não tenho problema em falar muito tempo sobre determinado tópico sobre o qual me pedem para estudar ou lecionar. Aprendi a construir relações lógicas e causais, e não tenho problema em falar em público.

O problema se dá quando tenho que falar sobre os sentimentos. Não para um psicólogo, por exemplo. Meu terapeuta até elogia de vez em quando algumas de minhas formulações que faço nas sessões. Acho que o maior problema é falar com aqueles e aquelas que amo de maneira mais profunda. A essas pessoas, muitas vezes, tendo a imaginar que somente as atitudes falarão por si, mas sei que isso não é verdade. Afinal, todos e todas precisamos ouvir de tempos em tempos, e até mesmo com certa regularidade, o quanto somos amados e amadas. Mesmo que ações sejam mais importantes que somente as falas, é ilusório achar que somente elas tem algum valor.

A fala se mostra importante. Dizer o quanto se ama, o quanto se admira, o quanto se importa, o quanto se acha bonita determinada pessoa ou determinado trabalho feito, ou ainda, a própria ação realizada é imprescindível para que aqueles e aquelas que convivem conosco saibam como nos sentimos e o quanto as amamos. 

Reflito nestes dias e acredito que preciso fazer isso. Vencer essa barreira em elogiar as pessoas e suas atitudes, a meu ver, tende a me tornar uma pessoa melhor para mim mesmo e também para aquelas pessoas que estão à minha volta. Se há 10 anos escrevi que gostaria de ser amigo das palavras faladas, talvez tenha faltado essa iniciativa minha para iniciar tal amizade. 

Mas, nunca se é tarde para começar…

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *