na noite escura viu um farol

na noite escura viu um farol

Na noite escura, no meio do mar, viu um farol
e ao vê-lo, novamente se encheu de alegria
ao perceber que não estava tão longe como
achava que estaria

Passou a pensar no farol. Farol que rodava simplesmente
iluminando toda imensidão do mar e servindo de guia
para viajantes, que, como ele, havia se perdido nas altas
horas da noite.

Pensou e chegou a cogitar que poderia ser um farol
no mundo escuro em que navegava diariamente.
Não pensou em salvar o mundo, antes simplesmente
indicar onde se estão aqueles que, juntamente com ele
caminham em meio a um mundo cruel

Pensou que, como farol, deveria iluminar constatemente
e mesmo, que a luz fosse fraca, já era alguma coisa
para o qual o viajante perdido poderia se orientar

Ponderou que luzes fracas iluminam curtos espaços
e quis ser uma luz mais forte. Luz que iluminava a longas
distâncias sem se esquecer das pequenas.

Resolveu então ser essa luz forte que pensou
e por isso procurou, procurou e procurou
até que um dia, sem menos perceber, viu todos
olhando para sua direção se orientando no grande mar…

E foi assim, que ao encontrar com o farol
de perdido se tornou achador, de caminhador nas trevas
passou a luzeiro que resplandece no mar
Tudo por causa de uma luz que brilhou
tudo por causa de uma vontade que brotou…

Fabrício Veliq
06.11.09 12:16
.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *