Deus acerta os versos do mundo transformando-os em poesia

Deus acerta os versos do mundo transformando-os em poesia

Deus acerta os versos do mundo transformando-os em poesia.
Gosto dessa frase.
Há diversos versos no mundo. Uns bonitos, uns não tão bonitos assim. De toda forma eles sempre estão lá.
Podemos escolher os versos do mundo que leremos e como o leremos. Dependendo do modo como lemos um verso ele traz ora um sentido, ora outro.
O verso é o mesmo, só depende da forma como o lemos. Assim também é a vida.
A vida é composta de versos. Versos bonitos, versos feios, versos simétricos, versos não tão simétricos assim.
alguns versos gostaríamos de não ler, outros gostaríamos de sempre reler, sempre voltar nele e ler novamente e novamente tamanho a beleza que se encontram neles.
Todavia temos um problema com os versos da vida. Eles só podem ser lidos na nossa memória. Não consigo voltar no tempo e reviver um verso escrito, só consigo relê-lo na minha mente.
Acredito ser essa a admoestação de Jeremias “quero trazer a memória aquilo que me dá esperança”.
Versos que são recuperados na memória nos fazem reler os versos que lemos algum dia em nossa vida.
E essa é a parte boa. Sempre podemos escolher os versos que queremos ler na nossa memória. O problema é que geralmente escolhemos os versos feios e assimétricos para ler. Isso nos faz ficar tristes. Deveríamos procurar os versos bonitos, que nos elevam, daí a alegria ficaria mais presente em nossas vidas
Os versos que escrevemos hoje, sejam bons e ruins também dependem de nossas escolhas. Escolhas são oportunidades que o papel da vida nos dá de escrever os versos corretos ou que achamos mais bonitos.
Quando percebemos que a vida não passa de um papel onde escrevemos nossos versos, daí passamos a escrever os versos de amor, os versos de paz e de bondade.
Há pessoas e situações que escrevem em nosso papel. Muitas vezes não percebemos que deixamos que elas escrevessem muitos versos desconexos, outros feios, outros desagradáveis.
O refrigério que temos é que temos um Deus que pega essas versos do mundo e transforma em poesia para nós.
Isso é graça. Os versos feios e assimétricos transformados em poesia pela mão do criador.

Fabrício Veliq
06-06-09 23:59

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *