Sobre o aquietar

Sobre o aquietar


Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus – Salmos 46:10. 
Quem nunca leu ou já ouviu alguma coisa sobre esse versículo, falando sobre a soberania de Deus, sobre que devemos esperar em Deus para que Ele, a seu tempo, nos conforte, venha em nosso auxílio e nos socorra no momento da tribulação? 
Penso que vários de nós já lemos esse versículos. Provavelmente alguém já fez um quadro bonitinho dele e postou no facebook com alguma imagem super confortante de uma montanha ao por do sol e por aí vai. Contudo, o que me chama mais atenção nesse versículo é a primeira palavra. Ao ler “aquietai-vos” sempre vem em minha cabeça uma atitude que é preciso que eu tome. A tarefa de aquietar não é de Deus, antes de minha responsabilidade. Hoje percebemos um mundo que não quer se aquietar, que precisa produzir mais, trabalhar mais, estudar mais, ganhar mais, ter mais. 
Pouco a pouco começamos a entrar nesse sitema e a viver de uma forma frenética sem muitas vezes saber o pra que ou o porquê de fazermos aquilo que temos feito. No entanto, o clamor do pai na voz do salmista é justamente o contrário, é o clamor para o parar. Nesse parar poder se dar a oportunidade de conhecer que Deus é Deus. 
Gosto de pensar na ideia de uma mãe que vê o filho extremamente agitado que quer fazer um monte de coisa ao mesmo tempo. Ao vê-lo assim, chama-o para sentar. O filho, por achar que tem muita coisa para fazer, simplesmente fica impaciente pensando sobre os n afazeres sem prestar atenção aos conselhos que a mãe lhe dá. 
No entanto, a mãe sabe o valor que aquele ato de parar tem e tenta mostrar isso ao filho a fim de que ele aprenda o valor dos momentos de parada. Penso que Deus também é assim e nesse clamor do salmista se revela como esse que nos chama dizendo: Pare um pouco e aprenda comigo. 
Em Mateus 13: 1 lemos: “Tendo Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar”. Vemos nisso um Deus que sai de casa e simplesmente se aquieta. Quanto ensinamento esse ato de Jesus pode nos mostrar.
 
Que ouçamos o clamor do salmista e sigamos o exemplo de Jesus.
Fabrício Veliq
27.02.13
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *