Rabiscos no papel

Rabiscos no papel

Rabiscos no papel, quem sabe não forme um texto?

Mas e se o rabisco nada for senão a esperança de algo?

Penso que talvez a vida seja assim: n rabiscos que são juntados, ora formando novos desenhos, ora formando novos textos, ora compondo novas músicas e poesias

Mas quem os rabisca? Nós mesmos? São os outros que o fazem? Será Deus quem os faz?

E quem os juntam? Será que somos nós? Acaso serão os outros?

Todo rabisco pode formar algo. Belo ou feio. Afinal, são traços desconexos, que somente aos olhos bons e atentos podem tornar-se uma bela imagem e somente sob olhos maus, tornam-se algo que não se queira ver.

Muitos traços juntos, às vezes um por cima do outro cortando-se em transversais e diagonais, às vezes simplesmente traços coincidentes que de tanto se parecerem, se apresentam como um só, podem misturar-se em um único papel.

O que formará? Que mensagem trará consigo?

Em todos esses traços, frutos dos rabiscos, sempre alguém os pode juntar trazendo a existência algo belo. E isso só depende de quem os juntam…

E no final do texto,

Rabisquei no papel
e percebi que alguém rabiscou também
Pensei então em rabiscar em conjunto
e ver no fim, o belo desenho que se tem

Fabrício Veliq
07.06.2010 – 11:50

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *