Silêncio

Silêncio

E de repente, tudo para.
O tempo para, a noite para, cessam-se os diversos sons que me rodeiam
e o que resta é simplesmente o silêncio…

Silêncio que paira no decorrer da noite
revelando que, depois do mesmo, os olhos atentos
perceberão o que virá e os ouvidos atentos
ouvirão o que tem que se escutar…

Silêncio que revela palavras não ditas,
que descobre pensamentos não revelados,
que ecoa alto pelos outeiros
o grito daqueles que se escondem
 
Silêncio, que silencia os corações
que traz apreensões
que esconde e revela
que enfrenta e se esquiva.

Quem, no final de tudo,
o entenderá?
E quem, por melhor que o observe
o fará dissipar?

Silêncio…

Fabrício Veliq
06.06.10 – 00:01

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *