Uma carta

Uma carta

Em meio às suas cartas recebidas naquele dia, uma lhe chamou atenção. Abriu-a e nela estava escrito:

Como gostaria que estivesses aqui
talvez de certa forma, apagarias a saudade
que sinto por não ver-te mais

Hoje corri à minha janela e observei o horizonte
na esperança de que te veria vir em minha direção
Porém depois de um tempo, percebi que não aparecerias
naquele dia, percebi que deverias estar longe, em um lugar muito distante de tal forma que seria impossível chegar

Pensei então em ir até onde estavas
Mas como ir, quando não se sabe o caminho?

E assim, a saudade continuou
e a esperança de que aparecesses naquele dia calou-se.

E por isso, te escrevi. Pois sei que lerás. E ao escrever lembro de você
E espero que ao ler, penses em mim.
E mesmo que a presença de sua ausência insista em permanecer,
através dessa escrita, esforço-me por fazê-la enfraquecer…

Fabrício Veliq
14.03.10 – 00:15

Compartilhe:

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *