Sobre alguns pensamentos

Sobre alguns pensamentos

Tenho pensado sobre o porquê que muitas vezes amamos quem não nos ama. O que nos faz pensar dessa forma?

O que que nos motiva a continuar aquilo que nos aflige?
Sempre digo que paixões são como plantas: a medida que regamos, mais elas crescem e a medida que não regamos, mais ela morre.

Porém o que fazer quando por mais que se arranque ela insiste em reaparecer? Será que é porque não arrancamos com a força suficiente deixando ainda suas raízes? Ou será que a paixão não pode ser simplesmente arrancada e a frase sobre o regar fica em xeque?

Conheço várias pessoas que sofrem com essas coisas. Como o poema Quadrilha do Drummond: 

João amava Teresa que amava Raimundo 

que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou pra tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história


Ah se sentimentos fossem como plantas e morressem se não houvessem água e nutrientes… Talvez os platonismos seriam menores ou simplesmente fruto de masoquismos… 

A cada dia tenho sido menos pragmático, não que antes fosse um deles, mas agora sou menos ainda do que era e isso é bom.

Penso que a vida deve ser levada como vento. Lembro de um texto que li há pouco tempo que falava sobre esse ato de fé que é deixar-se levar pelo vento. Vento que não sabe de onde vem nem para onde vai, mas simplesmente sopra levando refrigério por onde passa.. E assim acho que deve ser.

Mas tenho pensado sobre algumas coisas: 

Acredito que seja um bom homem, que a maioria das pessoas admiram minha conduta, o modo como sou amigo, o modo como disserto sobre diversas coisas principalmente no campo religioso, mas tenho percebido que tudo isso somente me leva a ser visto como o grande amigo das mulheres, nunca algum pretendente em potencial.

Não acho que as mulheres que conheço querem o pegador, o galinha ou coisas do tipo. Tenho muitas amigas. Algumas por quem já interessei e viraram amigas, outras que são simplesmente amigas por se fazerem amigas com o tempo. Todas elas ao falarem comigo sobre essas questões, falam que devo mostrar mais a que estou indo bem como meus amigos também falam isso. Porém as minhas investidas nesses termos também não obtiveram muito êxito. 

Há algum tempo tenho pensado que o que Deus tem para nós não é uma pessoa específica, antes um leque de possibilidades. E dentro desse leque, Ele como Pai simplesmente diz: Escolhe a pessoa que mais lhe agrada e seja feliz..

Dessa forma, tenho percebido que sou muito ruim nesses quesitos sendo um grande candidato ao clero… e isso é ruim.
Há os que lerão essas linhas e me xingarão, há os que lerão e rirão, há os que simplesmente não importarão com o que está escrito pois só lêem pois recebem o texto em seus emails e há os que falarão que sou extremamente exigente e por isso não estou com alguém.

Mas de toda forma, são questões que tenho considerado ultimamente e compartilho com vocês que lêem esse blog.

Fabrício Veliq
26.01.10 20:02

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *