E vi um pé de ameixa

E vi um pé de ameixa

Hoje ao ir para a faculdade percebi um pé de ameixa na rua da minha casa. Nunca tinha percebido que aquela pequena árvore era um pé de ameixa.
Quando era mais novo, na minha casa havia um pé de ameixa. Meu irmão e eu sempre subíamos nele, ora para comer ameixas, ora só para ficar lá em cima mesmo. Todo dia eu via o pé de ameixa, comia os frutos da árvore, derrubava algumas folhas, quebrava alguns galhos. Enfim, deveria saber reconhecer pés de ameixa ao ver um. Mas não reconheci esse.
A pergunta que fica é por que demorei tanto a perceber o pé de ameixa, sendo que durante muito tempo estava sempre olhando para ele e convivendo com ele?
Talvez por só alimentar dele e divertir com ele sem notar seus detalhes, o formato de seus troncos, das folhas e etc.
O que me fez reconhecer que era um pé de ameixa foi ver as ameixas amarelas no alto dele. Daí lembrei do pé de ameixa que eu tinha e tudo isso que contei acima.
Daí passei a pensar que muitos relacionamentos com Cristo e se quisermos até mesmo com as pessoas são dessa forma: convivemos com eles, mas não conhecemos seus detalhes. No caso de Cristo, estamos sempre nos lugares onde haverá o que comer, buscamos sempre a sua sombra para o conforto contra o calor insuportável de alguns dias, a alegria que ele proporciona e tudo mais, mas não conseguimos reconhecê-lo fora do nosso mundo criado por nós mesmos e pela religiosidade. Dessa forma surgem os dogmas, com os dogmas a intolerância, com a intolerância a guerra e junto com tudo isso a limitação do agir Dele.
Porém, assim como o pé de ameixa, dá para reconhecer a árvore pelo fruto. Ao ver as ameixas no pé, reconheci a árvore. Se tivesse descido do ônibus, subido no pé de ameixa e pegado uma, teria reconhecido o gosto peculiar que ameixas tem.
Dessa forma, oro para que meu relacionamento com o Pai não seja como o desse caso do pé de ameixa. Antes, que eu conheça seus detalhes, me aprofunde em suas formas e reconheça os seus frutos espalhados pelo mundo.
Sejam nos pomares maravilhosos, sejam em meio das estradas movimentadas, pois o fruto sempre aparece e por ele reconhecemos a árvore.

Que reconheçamos os pés de ameixas pelos caminhos…

In Jesus

Fabrício Veliq
21.08.09 17:15

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *