hoje estive pensando em qual a importância que tenho na vida das pessoas, se é que há alguma. 

às vezes percebemos que as pessoas para quem achávamos que éramos importantes não nos consideram tão importantes assim, ou aqueles a quem achávamos ter sido pedras fundamentais em suas vidas, nem sempre nos vêem dessas formas.
Talvez deva pensar um pouco menos sobre mim mesmo. Talvez não seja tão importante na vida das pessoas como suponho ser…
Descobrir essa verdade talvez seja uma virtude. Nos faz repensar nossas atitudes e nossas ações diárias. 
O que se ganha fazendo o bem? e o que se ganha sendo bom? Essa pergunta foi feita há muito por Jó. Deus não respondeu isso para ele, os amigos dele não responderam isso para ele e acredito que até hoje ninguém tenha respondido essa questão de forma satisfatória.
Creio que Deus retribuirá a cada um segundo as intenções dos corações, e somente ele conhece nossas reais motivações quando fazemos o bem o deixamos de fazer. Entretanto, Deus é atemporal, não é limitado no tempo.
Dessa forma, o que sofremos é a angústia da demora da recompensa do bem feito anteriormente. 
Não que faço o bem, pensando na recompensa, mas quando essa não vem, surge a questão do porquê então fazê-lo…
momento de tristezas são momentos de reflexões…. vamos refeltir….
Compartilhe:

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *